quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Tempestade







O vento que  se anuvia
Cingindo o final do dia
Vem trazendo consigo
A tempestade que se anuncia

Quão revolto fica o mar
Castigando as encostas
E não há quem possa, regressar ao lar
Receando a tempestade que se anuncia

Casas e casebres fechados
Crianças e velhos amedrontados
Nas ruas uns e outros apressados
Prevendo a tempestade que se anuncia

Raios e relâmpagos o céu a increpar
Através das vidraças a brilhar
Quem é devoto começa a orar
Temendo a tempestade que se anuncia

O céu da cor da noite ficou
Os pássaros interroperam seu voo
O trânsito nas cidades, travou
Por causa da tempestade que se anuncia

Gotas de chuva pesadas
Batiam nos telhados sem parar
Vento uivantes e pulsantes anunciavam
Que a tempestade acabava de chegar.

Nenhum comentário: